BRZ20IMS-LOGO-INTERMODAL-NOVO-PORT

1 a 3 de setembro de 2021 - São Paulo Expo

Identificando riscos à sustentabilidade



 

Audi, Porsche e Volkswagen usam a Prewave para monitorar cadeia de suprimentos

 

Radar inteligente de sustentabilidade para a cadeia de suprimentos: as montadoras Porsche, Audi e Volkswagen estão usando Inteligência Artificial (IA) para identificar riscos à sustentabilidade, como poluição ambiental, abusos de direitos humanos e corrupção em um estágio inicial – não apenas entre parceiros de negócios diretos, mas também nos níveis mais baixos de sua cadeia de suprimentos.

A base para este sistema de monitoramento é um algoritmo inteligente desenvolvido pela startup austríaca Prewave. A tecnologia é capaz de identificar e analisar notícias relacionadas a fornecedores de mídia e redes sociais, disponíveis publicamente em mais de 50 idiomas e mais de 150 países. Se houver qualquer indicação de risco à sustentabilidade na cadeia de suprimentos, as marcas são notificadas.

A solução, então, analisa os fatos da situação e sugere contramedidas. Para o Grupo Volkswagen, por exemplo, a IA fornece um sistema de alerta antecipado proativo para violações dos requisitos de sustentabilidade da empresa. Desta forma, complementa os canais tradicionais de reclamação reativa, como caixas de correio e ouvidorias. Desde o início do projeto-piloto, implementado em outubro de 2020, as montadoras analisaram mais de 5.000 palavras-chave e estão de olho em mais de 4.000 fornecedores.

"O Prewave nos permite gerenciar riscos de forma direcionada – mesmo nas cadeias de suprimentos de nível inferior. Para nós, trata-se de transparência”, disse o diretor de Estratégia de Compras e Sustentabilidade da Porsche AG, Markus Wagner. “A Inteligência Artificial simplifica a complexa análise dos dados, permitindo-nos abordar os parceiros diretamente e solicitar melhorias na sustentabilidade. O objetivo é conseguir isso em parceria com fornecedores. Em caso de escalada, no entanto, o término das relações comerciais certamente também é uma opção".

O diretor de Estratégia de Compras da Audi, Marco Philippi, avalia que a principal vantagem da IA é a velocidade com que pode reconhecer notícias relevantes online e transmitir isso de forma organizada. “Isso nos permite saber sobre os riscos à sustentabilidade muito mais cedo, para que possamos responder mais rapidamente. A IA é um exemplo ideal de como a digitalização pode contribuir para uma maior transparência na cadeia de suprimentos".

O diretor de Estratégia de Compras do Grupo Volkswagen, Ullrich Gereke, acrescenta: "Estamos cumprindo com a nossa responsabilidade de garantir uma cadeia de suprimentos sustentável e justa – estabelecemos critérios de sustentabilidade para nossos fornecedores em uma base contratual desde 2014. Desde 2019, verificamos o cumprimento de nossas normas como parte do processo de premiação. E agora, com a parceria com a Prewave, temos outra ferramenta para descobrir e investigar possíveis violações, contribuindo assim para melhorar as condições socioambientais nos locais de produção de nossos fornecedores.”

 

ENTREVISTA

Em entrevista para o portal da Intermodal Digital, o CEO da Prewave, Harald Nitschinger, avaliou o atual momento da empresa: "Estamos muito satisfeitos em trabalhar com Porsche, Audi e Volkswagen neste projeto com a indústria automotiva. Nossa tecnologia nos permite avaliar em tempo real milhares de fornecedores distribuídos globalmente em termos de riscos à sustentabilidade. O machine learning e o processamento automatizado de idiomas nos dão uma capacidade que nunca poderíamos alcançar manualmente: a avaliação contínua de riscos em toda a cadeia de suprimentos como base para os departamentos de compras abordarem proativamente os fornecedores". Confira a íntegra da entrevista:

 

Intermodal Digital: A necessidade de transparência na produção e nas cadeias de suprimentos consolidou-se como condição sine qua non para a manutenção e resiliência das relações comerciais. No entanto, este é um processo relativamente novo para muitas empresas. Você acredita que o mercado de logística e transporte de carga já entendeu e adotou essa premissa (transparência) como linha de negócios? 

Harald Nitschinger: Acredito que há uma conscientização para a necessidade de mais transparência, pois vemos grandes empresas logísticas nos contatando em busca de uma solução neste sentido para a cadeia de suprimentos.

 

ID: Por que a empresa definiu como alvo o segmento logístico e, especificamente, o setor automotivo? 

Harald Nitschinger: Crescemos organicamente nos setores automotivo e logístico, justamente pelo fato de termos nossos primeiros clientes neste setor. A indústria automotiva possui cadeias de suprimentos extremamente complexas devido ao alto grau de complexidade do produto e também às altas demandas de resiliência da cadeia de suprimentos. Entretanto, nossas soluções não se limitam a esses setores. À medida que crescemos, adquirimos novos clientes em uma grande variedade de indústrias.

 

ID: Como a solução da Prewave pode contribuir para a adoção da cultura ambiental, social e de governança (ESG – Environmental, Social and Governance)? 

Harald Nitschinger: A Prewave está na posição única de poder oferecer a uma empresa monitoramento para ESG e questões de sustentabilidade em toda a cadeia de suprimentos. Nossos clientes, portanto, podem observar o que realmente está acontecendo com seus fornecedores. Embora estejam cientes de incidentes com seus fornecedores diretos, as empresas podem agora monitorar até mesmo o que acontece com os fornecedores de nível 4, cujas informações geralmente não chegam à cadeia de suprimentos. Além disso, auditorias e avaliações levam muito tempo para acontecer. Mas, com o Prewave, é possível monitorar os fornecedores agora e ver resultados instantâneos.

 

ID: A solução contribuiu para a consolidação de uma cultura de transparência em toda a cadeia de suprimentos. Também pode colaborar com a melhoria do desempenho operacional das empresas envolvidas? 

Harald Nitschinger: Nossa solução certamente também pode melhorar o desempenho operacional, uma vez que as interrupções da cadeia de suprimentos são previstas ou identificadas em tempo real. Por exemplo, um incêndio no fornecedor do ATier-3 é diretamente detectado, e a empresa pode então colocar imediatamente em prática um plano de contingência, sem comprometer a operação.

 

ID: Como a empresa vê o mercado sul-americano e brasileiro? Existe alguma intenção de prospectar clientes no Brasil? 

Harald Nitschinger: Como nossa solução não se limita a nenhum mercado ou região geográfica, estamos muito interessados em ajudar as empresas sul-americanas e brasileiras a tornar suas cadeias de suprimentos mais transparentes e resilientes.