Professor do MIT aponta impactos da Revolução 4.0 na logística

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Diretor do MIT Center of Transportation on Logistics (CTL) do Massachusetts Institute of Technology (MIT), dos Estados Unidos, o professor Yossi Sheffi destacou os principais impactos da Revolução 4.0 em palestra proferida durante a XXI Conferência Nacional de Logística (CNL), organizada pela Abralog (Associação Brasileira de Logística). O impacto só não é maior, destaca, pois ainda há uma desconfiança na substituição do controle humano por um computador. “É um aspecto cultural que precisa ser superado”, frisa.

Ele cita como exemplo o resultado obtido por caminhões autônomos que funcionam com o mínimo de interação humana em Denver e Massachussets. “São capazes de percorrer 2.700 quilômetros sem parar. O mercado precisa ficar atento e superar essas barreiras culturais. A Uber, por exemplo, adquiriu a empresa de caminhões autônomos Otto e a Intel comprou a startup de carros autônomos Mobileye. Em longo prazo, teremos a diminuição de centros de distribuição e o fim das transportadoras como conhecemos hoje”, observa.

Yossi Sheffi também vê um futuro promissor para o cloud computing e o blockchain no segmento logístico. “O blockchain é um livro de registro eletrônico na rede. Uma vez escrito, é imutável. Cada participante tem cópia e ninguém pode apagar. Mesmo que ainda esteja em sua fase inicial de utilização na logística, permite avaliar que podemos ter uma governança mais inteligente nos processos”, afirma.

Fonte: Conteúdo Empresarial

ubm-white

 

 

Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
E-mail Inválido
Invalid Input
Invalid Input