BRZ20IMS-LOGO-INTERMODAL-NOVO-PORT
Data (3)

Como se prevenir contra riscos na logística?

 

Falar de riscos na logística é quase uma constante. Afinal, qualquer operação, por mínima que seja, é passível de falhas ou erros, o que pode acarretar em desperdícios, atrasos, retrabalhos e até mesmo prejuízos econômicos.

Então, qual seria a melhor saída para tornar a logística de sua empresa mais eficiente e aproveitar melhor as oportunidades dentro das rotinas?

Neste artigo, contamos com a participação de Gisela Mangabeira, Senior Executive Partner na GMC Consultoria, para trazer algumas dicas de como os gestores e as empresas podem se prevenir de riscos comuns na logística e otimizar suas operações.

 

Afinal, quais são os riscos na logística mais recorrentes dentro das empresas?

Evidentemente, cada companhia possui suas próprias características e especificidades operacionais, o que requer dos gestores a adoção de estratégias diferentes. No entanto, quando o assunto é prevenção na logística, costumam ser trazidos à tona dois fatores indispensáveis para uma gestão eficiente: organização e planejamento.

É exatamente nessa linha de pensamento que Gisela destaca: "Dentre os diferentes riscos na logística, o que pode gerar mais impacto é o de não ter um desenho de operação flexível".

"Alterações grandes em perfil de demanda e fornecimento podem exigir mudanças rápidas da estratégia operacional", diz ela, se referindo a possíveis falhas durante o planejamento e a organização de uma determinada entrega, independentemente do tamanho ou da área de atuação da empresa.


E quais estratégias podem servir como prevenção na logística hoje?

Da mesma forma que os riscos na logística são característicos de cada operação, as estratégias para as suas prevenções devem seguir essa linha de raciocínio. No entanto, apesar de não haver uma "receita pronta" para todos os casos, é possível apontar alguns fatores gerais como soluções viáveis atualmente, como é o caso da tecnologia.

Para Gisela, a própria forma de se fazer consultoria mudou nos últimos tempos, graças a uma transformação digital no setor. De acordo com a especialista, o que não faltam hoje são ferramentas e sistemas avançados, bem mais acessíveis e flexíveis às necessidades das empresas.

Gisela ainda cita um exemplo prático adotado pela GMC Consultoria como forma inteligente de se investir em novas tecnologias: "Trabalhar na conquista de parceiros também ajuda muito nesse cenário altamente dinâmico. Nessa linha, abrimos um laboratório de inovação, no qual atuamos no processo de desenvolvimento de soluções viáveis para nossos clientes".

 

Quais são as expectativas para a prevenção de riscos na logística?

O setor de logística é altamente dinâmico e está em constante transformação. Conforme a especialista reforçou acima, os riscos estão diretamente associados a essas alterações rápidas de cenários. Para preveni-los, a profissional defende a ideia de que é preciso, mais do que nunca, pensar fora da caixa e conseguir desenhar operações mais flexíveis, sempre com o apoio de parcerias estratégicas.

"O trabalho conjunto agrega muito valor! Nessa linha, acredito muito no uso de middleware, que é uma ferramenta de SmartProcess. Afinal, se trata de um tipo de solução em que você pode criar múltiplos caminhos e direcionar ações rápidas em conjunto", explica.

Ela também reforça a sua visão sobre a importância da transformação digital na logística: "Para mim, existe muito valor em desenhar processos digitais — onde você pode agregar diversas outras tecnologias como IA, OCR etc —, e não mais em papel. A aplicação desse tipo de tecnologia traz diversos impactos, inclusive em custos".

Em resumo, os riscos logísticos sempre existirão, em qualquer que seja a operação. Porém, os meios de detectá-los e preveni-los estão cada vez mais avançados e acessíveis às empresas.


Como integrar experiência e inovação para evitar riscos no processo logístico?

Em praticamente qualquer área profissional, é comum que fatores como experiência e inovação sejam frequentemente colocados de forma oposta, quando, na realidade, eles são complementares.

Pense em um operador logístico com décadas de atuação no meio. Sua vivência lhe permitiu enfrentar uma série de situações e mudanças que ajudaram a moldar seu perfil profissional, estando assim mais preparado para solucionar questões eventuais do ramo, como atrasos ou perca de cargas, problemas de armazenagem e emergências no transporte.

Por meio de novas tecnologias, como rastreamento de fretes e controle digital de estoque, um funcionário guiado por alguém com experiência e “tato” na área poderá estar melhor preparado para mitigar esses riscos, otimizando assim o fluxo de trabalho e diminuindo a ocorrência de situações prejudiciais à empresa.

Por meio da gestão de riscos e de uma organização operacional bem feita e padronizada com o auxílio de novas tecnologias, a logístisca avança, tornando seus processos mais eficientes, rápidos e menos custosos.
 

Leia mais: Tecnologia logística: Quando a inovação é aliada do sucesso

 

Outro ponto importante está no relacionamento do profissional com colegas e entidades do setor. Assim como em outros segmentos, a logística nacional se destaca por sua união, por meio da qual é possível negociar melhores condições regulamentais, tributárias eoperacionais junto ao poder público, assim como somar forças entre fornecedores, melhorando a intermolidade e diminuindo problemas durante o transporte.

Conforme vimos ao longo do artigo, pela visão da consultora convidada, fica nítida a importância das tecnologias aplicadas à prevenção na logística e da busca por parcerias estratégicas, o que independe do tamanho ou da atuação de qualquer organização.

Gostou das dicas? Então, compartilhe este artigo em suas redes sociais e aproveite para marcar parceiros, clientes e profissionais de logística!