BRZ20IMS-LOGO-INTERMODAL-NOVO-PORT

Docas do Rio reativa canal de interligação do Porto de Itaguaí

Docas do Rio reativa canal de interligação do Porto de Itaguaí

 

Com o objetivo de melhorar a infraestrutura aquaviária do Porto de Itaguaí e aumentar os índices de produtividade e faturamento, a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) reativou o Canal Norte da Ilha das Cabras. O canal de interligação entrará em operação nos próximos dias, tão logo seja publicada a Instrução Normativa da Autoridade Portuária. Com 9,4 metros de profundidade e um calado operacional de 8,9 metros, o canal pode receber navios de até 242 metros de comprimento e 32 metros de boca.

Para o superintendente de Gestão Portuária dos Portos de Itaguaí e Angra dos Reis, Alexandre Neves, o restabelecimento do canal possibilita uma nova dinâmica operacional nas manobras dos navios que acessam o Porto de Itaguaí: “O Canal Norte da Ilha das Cabras cria um trecho que pode funcionar como uma dupla via, modalidade que pode gerar crescimento na produtividade dos terminais e do porto, em função da ampliação da taxa de ocupação dos berços e aumento da movimentação de carga”. Outro ponto relevante, segundo Neves, “é a proximidade desse canal com a área de expansão do porto, que agora possui um canal como facilitador de um projeto futuro.”

O canal havia sido desativado em 2011 por causa das obras da Base de Submarino Nuclear e do Terminal Privado do Porto Sudeste, no intuito de evitar acidentes, já que estava ocorrendo dragagem nas proximidades. Com a conclusão dessas obras, a Diretoria de Gestão Portuária da CDRJ desenvolveu um projeto de reativação do canal, por meio da Superintendência de Gestão Portuária de Itaguaí e da Superintendência de Engenharia, com o apoio das demais diretorias. Assim, foram realizadas uma nova batimetria e uma nova sinalização náutica, visando o restabelecimento das condições de navegabilidade. Após as aprovações por parte da Marinha do Brasil (MB), a CDRJ instalou as boias de sinalização e homologou o navio tipo e o calado de operação.

Fonte: Site Guia Marítimo