“informa

Nova diretoria da Codesp anuncia plano de ação para sanear empresa e tornar o porto eficiente

A nova diretoria da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) anunciou, em coletiva de imprensa, um plano de gestão que engloba um tripé de ações voltadas para sanear a empresa e tornar a gestão do Porto de Santos mais eficiente: concessões e enxugamento da máquina; revisão de contratos e lançamento de editais.

Entre as medidas anunciadas estão a concessão de alguns serviços à iniciativa privada; novos leilões de áreas via outorga onerosa; modernização da gestão (que passa pelo enxugamento de cargos - cerca de 50% nos próximos dois anos - , novo layout de escritórios, entre outros aspectos de recursos humanos) e, principalmente, redução de custos.

“Não querendo parecer arrogante, mas nós queremos deixar uma gestão histórica na companhia, com o objetivo de servir a autoridade portuária”, enalteceu o diretor administrativo e financeiro da Codesp, Fernando Biral.

De acordo com o diretor presidente, Casemiro Tércio Carvalho, serão revistos contratos válidos por 35 anos, como o do canal de navegação (dragagem, balizamento e monitoramentos ambiental e eletrônico do tráfego de embarcações) e acessos terrestres (manutenção das vias perimetral de Santos e Guarujá, acessos, entre outros), além de cortes em serviços de utilities (energia, água, esgoto, entre outros).

Por fim, a companhia prepara o lançamento dos editais de leilões de quatro áreas a serem arrendadas ainda neste ano: o STS10 no Cais do Saboó (terminal de carga para movimentação de celulose), o STS13 (granéis líquidos na Ilha Barnabé), o STS20 (terminal de granel mineral) e, por fim, os terminais 14 e 15, para movimentação de granel mineral também  - áreas atualmente ocupadas pelas empresas Fibria e Rodrimar.

Newsletter

Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input
Invalid Input